MVP (mínimo produto viável): o que é e como fazer

Os empreendedores precisam sempre estar atentos as novidades, as fórmulas, técnicas e procedimentos que são utilizados pelos primeiros do mercado, principalmente durante a fase inicial das operações. Uma dessas técnicas, a MVP ajudou diversas empresas gigantes como o Facebook, Apple e Dropbox a se consolidarem em seus segmentos sem gastar muito inicialmente.

O MVP, significa Minimum Viable Product, ou em português: Produto Minimamente Viável.

 

O que é MVP?

Se você vive em uma cidade que tem metrô, sem dúvidas você sabe o que é um MVP. Após um bom tempo de construção, uma nova estação de metrô é inaugurada, mas antes de ser aberta para a rotina do dia a dia de milhares de pessoas ela é operada de forma discreta para realização de testes.

Seja por semanas ou até mesmo alguns meses, os usuários podem conhecer a estação e realizar viagens de forma experimental, mas sempre numa escala reduzida e em curtos períodos de tempo. Na prática, esses testes são bastante semelhantes ao modelo que é o MVP.

O MVP está ligado diretamente aos conceitos do Lean Startup, que é o desenvolvimento de estratégias para agir de forma pontual sem que haja desperdício de tempo, dinheiro ou recursos. O objetivo do Lean Startup é atingir uma melhor qualidade, gerando assim um time-to-market mais de forma imediata e sem um risco de incertezas.

 

Qual o significado do MVP e quais são suas funções?

O MVP é nada mais nada menos que vários testes primários que são realizados antes de validar a viabilidade do negócio, sendo diversos testes e experimentações práticas que são desenvolvidas para levar o produto até um grupo de clientes selecionados, mas esse ainda não é o produto final.

Esse produto possui uma quantidade mínima de recursos, desde que esses mantenham sua função de solução ao problema para o qual foi criado, ou seja, não sendo apenas funcionalidades soltas, pois juntas elas deverão ser o produto, mesmo que ainda esteja em forma de protótipo.

O empreendedor então oferece poucas funcionalidades para conhecer a reação do produto no mercado na prática, a forma que o cliente irá compreender a funcionalidade do produto e se ele realmente é capaz de solucionar os problemas dos consumidores.

 

Porque o MVP é útil em uma startup?

Essas investigações acerca da qualidade do produto oferecido, garantem à startup entender os porquês por trás do comportamento dos clientes, além de também ser capaz de identificar as falhas nos produtos antes do lançamento integral e visualizar o que deve ser arrumado no projeto.

Toda essa troca de informações com os clientes também possibilita que a melhor solução seja encontrada para aplicação dos preços, lançamento dos produtos e de serviços que sejam realmente inovadores.

Além disso, o MVP também permite que o empreendedor consiga identificar uma mudança na demanda do mercado antes mesmo da concorrência.

O modelo é uma verdadeira representação do feedback, que deverá ser uma verdadeira direção para o desenvolvimento do produto, fazendo com que a empresa não somente dê o passo inicial para uma melhor construção que poderá vir após esse feedback.

Inicialmente o MVP não tem haver com a entrega de um produto mal feito antes de finalizado e jogado de forma definitiva no mercado. O MVP não pe a entrega de um software com falhas para receber a opinião dos clientes com os problemas que precisam ser modificados.

O MVP é a entrega de um software que represente o produto final da empresa que ainda está para ser entregue, mas que será enfim uma versão mais limpa e mais enxuta, que será suficientes para solucionar o problema para o qual foi desenvolvido.

06/04/2018